09 junho 2005

Um voto a favor de um admirável mundo novo

Que, convenhamos, não seria tão novo assim, mas certamente seria de se admirar!

Três coisas que, desde que o mundo é mundo, ocorrem e atrapalham nossas vidas porque se mantêm ilícitas pela ignorância.

1. O uso de drogas

Se você não usa nenhum tipo de droga, lícita ou ilícita, não pense você que esteja livre das conseqüências do comércio desta pela forma qual é feito hoje. Não raro, é possível ouvir dizer que fulano foi morto por bala perdida em tiroteio entre polícia e traficantes, traficantes entre traficantes, assalto de algum usuário a algum estabelecimento ou pessoa física. Enfim, as possibilidades de morte ao se manter o comércio de drogas psicotrópicas na ilegalidade são bem variadas e atingem muito mais pessoas do que somente seus usuários ou comerciantes. Por isso, não resolveria tal problema a legalização apenas da inofensiva maconhinha. TEM DE LEGALIZAR TUDO!!! Legalizar para poder controlar melhor, cobrar impostos de quem comercializa para poder investir em programas de saúde. Enfim, algo que só aconteceria em um admivável mundo novo, que nem é tão novo assim, pois desde que o mundo é mundo, as pessoas se drogam, mas admirável mesmo seria isso funcionar no Brasil.

2. O aborto e o abondono de crianças.

Já que a dita cuja ( entenda mãe que não quer o filho que espera) decidiu abortar ou abandonar a criança mesmo, pelo menos, que se crie condições descentes, que minimizem riscos para a saúde da dita, afinal seria demasiadamente prepotente julgar seus motivos para tal decisão, ao mesmo tempo que diminuiria o número de crianças abandonadas em maternidades, igrejas, latas de lixo, e em inúmeros outros lugares, dando vasão e ampliando as margens da pobreza e da revolta.

Seria possível aproveitar o ensejo para desenvolver pesquisas e tecnologias científicas para curar doenças e salvar vidas através das células troncos do embrião.

3. A prostituição

Não precisa nem dizer desde quando isso ocorre. O problema é que, ocorrendo da forma como ainda ocorre, esta atividade continua como uma forma de disseminação de doenças sexuais transmissíveis.

O pior é quando este 3 se mistura com aquele um!


Até quando permitiremos que moralidades e doutrinas religiosas atrapalhem nosso desenvolvimento social, ou melhor, a ciência teria chegado onde hoje está se tivesse dado ouvidos a tais coisas de religião?

Um comentário:

Ana disse...

Bravo!
O post tá maravilhoso... Fechou!
bj bj