13 julho 2005

Para não dizer que não falei das flores

Atenção leitor: Este post é diferente de tudo que se viu até aqui, porém pasmem, fui eu, com minhas próprias mãos, que escrevi!

Poeta em crise de inspiração, fadado à involuntária trivialidade improfícua, assim segue:

"Flores do eterno paraíso,
Que perfumam coloridos bosques.
Flores que precisam para isso,
De um leve toque.

Flores que semeiam a vida,
E presenteiam a morte.
Flores que curam feridas,
E envenenam a sorte.

Ó misteriosas flores,
Que ministram a vida,
E alegram amores.

Ó dolorosos amores,
Que fazem feridas,
Tão dignas de flores."

"It's a strange world where strange things happen, and flowers are dying and bombs are borning, but it's not strange, love is strange"

3 comentários:

Anônimo disse...

Nossa Dani!!!...tem certeza que foi vc que escreveu???...tão absurdamente diferente do seu normal...

Nati

Ana disse...

Pasma!!! Assim que estou...
é um comment.. "no comments" não tenho palavras..
Vc não está passando bem..rs
bjs

Edu disse...

Anda escrevendo muitas poesias....isso ta mechendo com vc???

e er...Legal