29 setembro 2005

Dança Macabra


Dies Irae*
Por Camille Saint-Saëns*

"Vejo a todos de mãos dadas nessa terrível Dança Macabra. A morte, vestida de preto e a carregar sua foice, guia seus passos."

Atrás segue Osvaldo que passou a vida a esquivar-se dos problemas ao se isolar, tocar seu instrumento e escrever seus poemas.

A puxá-lo estava o casal Roberto e Valkiria que substituira seu convívio conjugal e sua alegria pessoal pelas obrigações na manutenção de seu status social.

Os acompanhavam, Raquel e Pedro, subalterna e patrão. Raquel choramingava sempre pelos cantos a lamenter-se de seu emprego. Pedro aproveitava-se de sua fragilidade. Delegava e a humilhava. Raquel se prendia ao medo de arriscar. Pedro fugia de sua própria imagem.

Gustavo, o mais próximo à morte, começou a dançar sonhando. Gustavo sempre sonhou. Nunca realizou. Era fácil sonhar. Difícil é fazer realizar.

Mozart revelou seu Réquiem.

Aeternam dona eis*

Amém*

* Dies Irae: canto gregoriano que celebra a morte
* Camille Saint-Saëns: Compositor erudito de umas das quinhentas obras denominadas Dança Macabra.
* Aeternam dona eis: Dei-lhes o descanso eterno
* Amém: eu heim!!!

4 comentários:

ANa disse...

Nao entendi nem o que vc disse..
que será que vc quis dizer??
Socorro.. vc vive a dar nós em minha cabecinha prática..rs
bjs

mia disse...

Wow...
Depois de um longo tempo de cerca de uma semana sem passar por aqui, eis que me deparo com tão profundo post... Não quero pensá-lo, quero apenas sentí-lo... E, por incrível que pareça, a sensação instantânea é boa.

B-jos!

Anônimo disse...

Dani,
Esse é daqueles...hehehe...Essa é a Dani que nós conhecemos...
Bjinhos, Nati

Lu disse...

Gostei do post!!!!!!