05 julho 2005

Uma nota ao Live 8


Apesar de comporem a lista de artistas monstruosidades como Mariah Carey(Londres), Shakira(Paris), Tim McGraw(Roma), Jay-Z, Linkin Park e Bon Jovi (Filadélfia), o Live 8, evento político internacional organizado por Bob Geldof, foi impecável em termos de organização, abrangência e conseguiu proezas históricas, tais como, colocar no palco, após de 20 anos de separação por desavenças, bandas como Pink Floyd em sua formação original, juntar as vozes de Bono e McCartney num clássico dos Beatles e ainda levar Bill Gates para assistir e dar um show de retórica clichê no palco londrino.
Annie Lennox, como não poderia ser diferente, rancou-me lágrimas ao cantar junto de somente seu piano o hit "Why" com imagens de crianças africanas desnutridas e jogadas às moscas! Outro ponto alto foi, com certeza, o mega show da Madonna em companhia da menina que, à época do Live Aid, 20 anos atrás, teria apenas 10 minutos de vida e, milagrosamente, foi salva na África por um show que ocorria na Filadélfia e Londres.
Exageros à parte, sou suspeita em dizer que o show da Dido com o senegalês Youssou N'Dour foi ultra comovente pela essência da música por eles interpretada, "Seven Seconds".
Quanto à causa do evento, mais do que nobre, todos podem colaborar assinando uma mega lista disponível no site do evento. "Let's make poverty history".
Logo, pela organização, abrangência e, óbvio, pela causa, o Live 8 merece de minha parte uma nota "Si" Muy Bueno!

Um comentário:

Edu disse...

er...legal