06 fevereiro 2006

O Pequeno Grande Poeta

Desde pequeno já chorava alto.
Antes do parto, o médico já dizia:
- Seu filho terá uma anomalia;
Não crescerá como deveria.
Terá a cabeça de um homem;
E corpo de uma criancinha.

Para sua mãe, não importava;
De qualquer forma o amaria.
Para ele, era tudo assustadoramente grande;
Como a Terra no infinito.
Sem saber porquê, nem motivo;
Gostava de ver o sol surgindo;
A lua sorrindo;
As ondas batendo;
As flores se abrindo.
Era tudo tão lindo;
Que nem precisava entender!

Na escola andava sozinho.
Ninguém o queria como amigo.
Diziam que era estranho;
E ficavam o assustando;
Colocando apelidos.
Disso ele tinha medo;
Achava feio;
E precisava entender!

O que ele gostava de fazer;
Era escrever o que sentia.
Entre versos e sentimentos;
Ele criava uma poesia.
Em uma ele dizia:
"O mundo Roda
Roda
Roda
E guarda
Coisas boas e coisas ruins.
Sempre foi assim.
O homem criou o mundo à sua imagem e semelhança.
A maioria sempre ganha.
Pena que rodar não tem um fim."

13 comentários:

Ana disse...

O que acontece com as pessoas que tem o corpo de um adulto e a cabeça de uma criancinha??? assustada... vulnerável... ingênua...

Como sempre seus textos me atingem, não pq eu entenda exatamente o que vc quer dizer (hmmm, que surpresa qdo isso acontece...) mas pq rola uma projeção e associação absurda...

No caso desse post, rola uma coisa meio "o avesso do avesso" em algumas partes mas que no final, o medo... a insegurança, o pânico de julgamento, é o mesmo... How can we deal with it?

NO aswers for now... let´s just live...

love ya..
kisses

Valéria disse...

não tem um fim? será?
um beijo

Madame disse...

Querida Dani, é o cruel mundo da maioria, ou do forte sobre o fraco, mas há algo nesta conversa que deveria ser dito: - A maioria é burra!!!- ...é burra porque não precisa pensar, todo mundo vai assistir o Big Brother, só eu vou ficar fazendo poesia, gastando neurônios? É triste e cruel...

ariadne disse...

Pena, mesmo.


abração

Cecília disse...

De tanto rodar ele ficou tonto?
tadinho!!!

Thiago Quintella disse...

é a beleza do "bizarro"!

Marcos disse...

Não é essa a regra t´cita e natural: rejeitar o que não é igual?

Fabiano Roberto disse...

O ser humano se preocupa demais com a aparência e não consegue ver o que realmente é importante o caráter de cada um.
Beijo!

arrudA disse...

rodei. beijo de arrudA

Doutor X disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Doutor X disse...

Este menino estava neste giro de vida que habitam este planeta e talvez as outras pessoas que estavam girando com ele fossem imaturas demais para compreender sua maturidade,sua percepção sensível de se ver as coisas...sua genialidade. Como disse Jonathan Swift:
"Quando um verdadeiro gênio aparece no mundo, reconhecemo-lo porque todos os estúpidos se unem contra ele."
Considerações.

P.S - Estou ainda no aguardo de uma resposta tua que enviei para ti por e-mail...não sei se recebestes...

mia disse...

Sinto que a idéia desse texto rompe os simplórios limites da "anormalidade" física... ... .... seu sentido percorre muitos caminhos e vai além.... ... .... ... .... ...

... .... ... ....mas mesmo assim quero assistir aos Oblongs depois de ler esse post, só para saber se terei alguma sensação diferente... jejeje

B-sos dulces!

PS: será que o arlê merece nana para dormir??? *apaixonante*

bel disse...

noossa... antes do parto a mãe ficou sabendo que ele tem uma cabeça enorme, é isso???

"FAZ CESARIANA PELO AMOR DE DEUS!!!"
HAHAHAHAA