31 maio 2006

In Sensatez

Da última vez que morri,
recordo-me do leito e da lágrima.
Se não fossem aqueles momentos tão confusos,
das correções negligenciadas,
seria, somente, o gozo ...
aquele mesmo gozo da penúltima vez que morri,
quando não haviam as palavras.

assim,
resta-me, somente, morrer de vez
e
assim,
restar-me-á, somente, a sensatez.

13 comentários:

Valéria disse...

e o sossego...e o sossego...
beijo

Yara disse...

Puxa...

ariadne disse...

Eita Dani :-)

escreva mais!!

Thiago Quintella disse...

Na próxima morte, a vida será a mesma, difícil chegar à final!!! ótimo poema!

Florípedes disse...

A mesóclise me matou.

Nanna disse...

[in]versos sensatos...

Beijos!
:)

Honey disse...

quando eu crecer quero escrever q nem vc

Dora W disse...

Junho..

Ana disse...

Nunca mais estive aqui... mas vc tampouco apareceu.. entao fiquemos assim...
TO COM SAUDADE, PORRA!!!!!

Sobre o texto em si.. requer alguma reflexão... mas a vida tá confusa demais pra me permitir refletir...

Prometo que logo mais, passado o momento atual, volto e tento comentar...

Por ora fica registrada minha visita.. minha indignação pelo seu sumiço cruel, minha saudade sem fim e meus beijos..

Love you forever!

PS. confesso que o sumiço tb é de minha parte.. mas reclamar é "inerente à minha personalidade".. so...

beijos..

Doutor X disse...

Sublime poesia!!

Quando as palavras nos faltam, justo as palavras tão imperfeitas e incompletas, o fragmento que existia dela em nós se dissipa.E dali nasce um pó que realmente apenas a sensatez tem chance de gritar., num grito profundo e silencioso..sem palavras.

Atualmente ando atarefado,mas logo logo voltarei às sensatas e histéricas postagens de teu blog,tal qual as do meu.
Bjs.

yara disse...

uè? parou?

Anônimo disse...

I really enjoyed looking at your site, I found it very helpful indeed, keep up the good work.
»

Anônimo disse...

Greets to the webmaster of this wonderful site. Keep working. Thank you.
»